top of page

Apareceu alguma espécie nova devido à pandemia?



É muito difícil entender o real impacto que os humanos causam nos animais. Desde a revolução industrial os seres humanos expandiram e alteraram de forma direta todo o planeta. Basta olhar o reflexo disso no último relatório do IPCC, demonstrando, com uma quantidade imensa de dados coletados pelos melhores cientistas do mundo, as alterações climáticas globais causadas pelo homem.


Entretanto, o mundo parou por causa de um vírus e todo esse impacto pôde, mesmo que durante um pequeno período, ser medido. Muito se especulou, por exemplo, sobre a redução de barulho nas cidades. Como será que os animais iriam ligar com essa mudança? De fato, dei até entrevista aqui em Brasília falando das possibilidades . Mas afinal, já conseguimos medir esse impacto?


Recentemente foi publicado um artigo (link nos comentários) que, para mim, é o primeiro estudo abrangente sobre o tema, na revista Science Advances, do grupo Science.

Nesse artigo os autores obtiveram dados coletados na América do Norte durante o período de confinamento por causa da pandemia. Dentre os muitos achados importante, os pesquisadores mostraram que a redução de atividade humana nas cidades (redução de mobilidade, parada dos voos etc) alterou a ocorrência da maior parte das espécies de aves avaliadas.


Eles mostraram, por exemplo, que devido a redução do número de voo e, consequentemente, a redução de todo o ruído que os aviões causam, algumas espécies passaram a ser observadas próximos aos aeroportos. Ainda, quando compararam área rurais e urbanas, notaram que a pandemia possibilitou contar um número maior de espécies nas áreas urbanas.


Ou seja, esse estudo preliminar está demonstrando que nós afetamos os animais. Nossa rotina barulhenta da cidade faz com que os animais evitem esses ambientes. Isso levanta várias perguntas interessantes. Esse padrão observado pode ser extrapolado para outras regiões do mundo? O padrão serve para todas as espécies? Existem espécies que foram prejudicadas, pois talvez se beneficiassem dessa rotina?


Como será que está a ave que te visita em sua janela? Será que apareceu alguma espécie nova devido a pandemia? Provavelmente, mas ainda é cedo para afirmar...