top of page

Mamíferos estão voltando para o escuro?


Os animais apresentam diferentes adaptações, e essas modificações fisiológicas e comportamentais são dirigidas pelas variações genéticas aleatórias e pela influência do meio ambiente nessas alterações, selecionando as características que mais se adaptam ao contexto de vida daquela espécie.

É o que chamamos de evolução por seleção natural, a base de toda a biologia.


Os estudos mais atuais, inclusive genéticos, corroboram com a ideia de que os primeiros mamíferos, que surgiram aproximadamente 200 milhões de anos atrás, eram adaptados ao período noturno, sendo um excelente meio de não serem predados pelos grandes animais diurnos que dominavam a Terra neste período, os dinossauros.


Com o passar do tempo e após a extinção dos dinossauros, os mamíferos se modificaram e ocuparam diversos nichos ecológicos, que ficaram vagos, sendo que muitas espécies deixaram de ser noturnas e grande parte de suas atividades como forrageio e interações inter e intraespecíficas passaram a acontecer durante a luz do dia, como é o caso da maioria dos primatas, guepardos... Até então, tudo acontecendo como previsto.


Porém, Gaynor et al (2018), publicaram um paper no qual analisaram uma mudança de comportamento em relação ao período de atividade de 62 espécies de mamíferos nos seis continentes. E essa mudança é direcionada por uma única espécie, a sua que está lendo esse texto.


Foram analisados os períodos de atividade de várias espécies de mamíferos em diferentes locais, alguns com maior interferência humana e outros com menor, e o que descobriram?

Animais de uma mesma espécie em localidades com maior interferência humana são mais noturnos em relação aos indivíduos que habitam áreas com menor interferência, ou seja, os humanos alteram significativamente o comportamento de vários outros mamíferos. Isso pode ser causado por diferentes fatores como luminosidade, ruídos e presença de pessoas. Inclusive algumas espécies demonstram um menor tempo de atividade total ao longo do dia.


Será que todas as espécies vão conseguir se adaptar às modificações causadas pelos seres humanos ou teremos que tomar medidas drásticas para viver em equilíbrio? Será que somos os novos dinossauros dos mamíferos?