top of page

Olhos Brilhantes no Escuro?


Você já deve ter visto uma foto de um animal no escuro, com os olhos brilhando. Mas por que isso acontece?


Muitos animais possuem uma estrutura ocular chamada de tapetum lucidum.


Essa estrutura reflete a luz que entra no olho, melhorando a visão em condições de pouca luminosidade, como o período noturno, cavernas e tocas ou o fundo do mar.


A versão mais comumente conhecida de tapetum é o coroidal. Ele fica localizado na coroide, camada vascular que fica atrás da retina, e se divide em três tipos (os nomes estão em latim):


- Choroidal guanine tapetum: nesse caso, o tapetum é composto de uma camada de células com cristais intracelulares de guanina. Esse tipo é encontrado em peixes cartilaginosos.


- Choroidal tapetum cellulosum: aqui temos cristais refrativos intracelulares que são responsáveis pelo brilho. Esses cristais variam bastante em formato e composição, e são encontrados em carnívoros, roedores e cetáceos.


- Choroidal tapetum fibrosum: no qual temos um arranjo de fibras celulares que refletem a luz (encontrado em vacas, ovelhas, cabras e cavalos).


Porém, o tapetum também pode ser retiniano! O retinal tapetum se encontra no pigmento do epitélio da própria retina. Esse tipo de tapetum é encontrado em marsupiais, morcegos, crocodilianos e teleósteos (ou peixes ósseos).


E nem todos os animais possuem tapetum! Em geral, primatas (incluindo humanos), suínos, aves e répteis são os chamados atapetais.


Mas, como eu costumo dizer, silvestres sempre têm a exceção da exceção. Os primatas da subordem Strepsirrhini, como lêmures, possuem tapetum lucidum (com a exceção de alguns do gênero Eulemur).


Profa. Clarissa Machado